Ela cumpriu o que cantava

Por Aldrin Cordeiro

A morte precoce de Amy Winehouse selou o destino que muitos (se não todos) esperavam para a cantora. Aos 27 anos, uma das mais marcantes vozes deste século, que mesclava jazz, soul e blues, cumpriu o que cantava para milhões de fãs.

Em “Rehab”, o maior sucesso da curta carreira, versos sobre não ir para uma clínica de reabilitação por causa de álcool e drogas definiram o estilo de vida que a artista escolheu. Era raro vê-la sóbria nos palcos e os jornais britânicos a retratavam como uma “festeira de carteirinha”.

Com dois álbuns lançados, Frank (2003) e Back to Black (2006), Amy Winehouse deixou sua marca na música. Ganhou diversos prêmios pelo segundo trabalho e emplacou as músicas “Rehab” e “Back To Black”. Seguiu os passos de Janis Joplin e Kurt Cobain e deixou uma geração de fãs que aguardavam um novo trabalho. Este álbum estaria pronto, porém sem data de lançamento, afinal Amy enfrentava problemas pessoais.

A morte de Amy Winehouse fecha mais um capítulo da história da música, mas esta não será a última vez que a ouviremos cantar.

Etiquetado ,

Não serão publicados comentários ofensivos, preconceituosos, que utilizem palavrões, escritos exclusivamente em letras maiúsculas e muito menos comentários anônimos. A moderação não é feita na hora.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: