Super-Secretarias do Super-Nepotista. É o super “xoque de jestão”

Com apenas seis votos contrários, a Assembléia Legislativa do Feudo do Paraná aprovou a criação de duas supersecretarias, que abrigarão familiares do governador Beto Richa. A primeira dama Fernanda Richa ficará com a Super Secretaria da Família (opa! e que super família hein!), e o irmão do governador Pepe Richa, será o Super Secretário de Infra-estrutura e Logística. Juntas as duas secretarias podem ter 80% do investimento do estado.

É a institucionalização do feudo no Paraná.

E passando como um trator no debate político no legislativo, a base governista aprova sem dar um piu, tudo o que o governo manda. Nada os impedirá, por exemplo, de privatizar empresas públicas. Afinal a palavra do governador Carlos Alberto, aquela registrada em cartório em 2008 e 2010 parece não valer nada, e aqueles deputados eleitos para serem oposição, em especial os do PMDB, parecem ter sentado no colo do governador.

Paraná cria duas supersecretarias para irmão e mulher do governador Beto Richa

Do UOL

O super governo do super nepotista, com super secretarias para familiares. É o super "xoque de jestão"

O super governo do super nepotista, com super secretarias para familiares. É o super "xoque de jestão"

A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, nesta terça-feira (21), projeto de reforma administrativa do governador Beto Richa (PSDB) que criou as secretarias de Infraestrutura e Logística e de Família e Desenvolvimento Social.

As novas pastas terão no comando, respectivamente, o irmão, José “Pepe” Richa Filho, e a mulher do governador, Fernanda Richa. Ambos controlarão de seus gabinetes as transferências federais do PAC e do programa Bolsa Família.

A reforma aprovada pelos deputados também criou 295 novos cargos comissionados que custarão, em salários, R$ 8,6 milhões por ano aos contribuintes paranaenses.

Cada novo cargo terá um custo médio de R$ 2.429. A reforma contraria o discurso de campanha do então candidato Beto Richa em 2010, que criticou o nepotismo no governo do ex-governador Roberto Requião (PMDB) e o abuso dos cargos em comissão.

A Secretaria de Infraestrutura e Logística assume as funções de duas secretarias extintas, a de Transportes e a de Obras. A pasta da Família e Desenvolvimento Social passa a acumular funções que eram de três secretarias, as da Criança e Juventude, do Trabalho e da Justiça.

Com a reforma, a Secretaria da Família terá 127 cargos em comissão. A pasta ainda terá mais 32 cargos em comissão vindos da Secretaria do Trabalho, em função da transferência do setor de promoção social para a secretaria de Fernanda Richa.

Com os cargos que já estavam à disposição da renomeada Secretaria da Criança, a primeira-dama controlará 212 servidores em comissão. A aprovação dos projetos também cria outros 118 cargos comissionados para a Procuradoria Geral do Estado; 28 para a Secretaria da Justiça e 22 para a Secretaria do Trabalho.

Oposição

O projeto foi aprovado pela maioria dos deputados estaduais, com apenas seis votos contrários. A maioria da bancada do PMDB, partido do ex-governador Requião que em tese seria de oposição, também votou pela aprovação dos projetos.

A bancada de oposição criticou as mudanças, alegando concentração excessiva de poderes em duas pastas. Para os ddeputados oposicionistas, as supersecretarias vão concentrar 80% da capacidade de investimento do Estado. Segundo o líder da oposição, deputado Enio Verri (PT), a reforma é um retrocesso. “Não estamos discutindo o modelo de gestão, o que foi aprovado é um retrocesso político”, disse.

Para o deputado Tadeu Veneri (PT), a nova estrutura concentra excessivos poderes em membros da família Richa. “Uma única secretaria vai receber todos os recursos do PAC, e a outra, todos os recursos dos programas sociais. E os dois secretários são o irmão e a mulher do governador”, disse Veneri.

A nova Secretaria de Infraestrutura terá 1,52% da receita de investimentos do Estado, o equivalente a R$ 358 milhões em 2011. A Secretaria da Família terá R$ 204 milhões em investimentos, 0,87% da receita de investimentos.

Governistas

“O deputado Verri foi secretário do Planejamento e é economista, mas sua matemática está equivocada. É uma informação distorcida”, disse o líder do governo, Ademar Traiano (PSDB).

Quanto ao nepotismo, Traiano comparou a participação familiar no governo Richa com a que ocorreu na gestão do ex-governador Roberto Requião (PMDB). “Nunca critiquei a ex-primeira dama ou o secretário Maurício Requião. Diferente do Eduardo Requião (ex-administrador do Porto de Paranaguá), que envergonhava o Estado”, disse.

Etiquetado , , , , ,

2 pensamentos sobre “Super-Secretarias do Super-Nepotista. É o super “xoque de jestão”

  1. Geraldo Azevedo disse:

    Texto perfeito. Já divulguei para TODOS os meus contatos. Se bem que MUITOS deles “detestam” quando eu envio …. rs

  2. Geraldo Azevedo disse:

    Caro Cleverson, gostei da citação do Leminski, para o qual trabalhei à muitos anos. Um abraço

Não serão publicados comentários ofensivos, preconceituosos, que utilizem palavrões, escritos exclusivamente em letras maiúsculas e muito menos comentários anônimos. A moderação não é feita na hora.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: